Concelho-Celorico - 1 - Associação Empresarial de Fafe, Cabeceiras de Basto e Celorico de Basto

Procurar
Ir para o conteúdo

Menu principal:

REGIÃO > CELORICO
 
 

CONCELHO DE CELORICO DE BASTO

 
 

Celorico de Basto foi couto de homiziados (fugidos à justiça), criado em 1441 pelo infante D. Pedro, que tentava assim remediar os prejuízos do despovoamento da região. Caberia no entanto a D.Manuel I conceder foral ao concelho de Celorico de Basto, em Évora, a 29 de Março de 1520.

O concelho abrange uma área de 17.900 hectares e possui actualmente 22 freguesias.  

É rica a história de Celorico de Basto, sobretudo porque referencia muitas e ilustres personagens dos primórdios tempos da sua fundação, como da longa época régia de Portugal. Subjacente a tudo isto está a nobreza dos títulos de tão altas individualidades e das casas e quintas que lhes serviram de moradia ou de simples remanso para longos períodos de descanso. As bonitas casas solarengas (brasonadas) e apalaçadas, são ainda hoje testemunhos fiéis de muitas gerações do senhorio rural. Este conjunto de casas constitui o maior núcleo do género no norte de Portugal e formam um verdadeiro ex-libris para a região. São obras do século XVI e, sobretudo, do século XVII.

O Castelo de Arnóia será, talvez, a maior e mais importante referência cultural e histórica, apesar de existirem por todo o concelho pelourinhos muito antigos bem demonstrativos da autonomia municipal. Constitui ainda património histórico e cultural os vestígios de estruturas e espólio arqueológico que se encontram nas freguesias de S.Bartolomeu do Rego, Ribas, Borba e S. Clemente.

Como concelho rural que é, Celorico de Basto sente enormes dificuldades  em atrair e fixar grandes projectos de investimento capazes de proporcionar a diversificação do tecido produtivo. Daí que a actividade económica predominante seja o sector primário que ainda muito recentemente era apontado como absorvente de 62% da população activa. A agricultura aparece, assim como a principal ocupação, ainda que associada à criação de gado bovino, ovino, caprino e suíno. Mesmo assim os sectores secundário e terciário começam a ganhar alguma expressão, sobretudo o sector secundário, mercê de novas oportunidades de emprego na construção e obras públicas e em pequenas indústrias complementares (produtos cerâmicos, derivados do cimento e outras).

O artesanato é variado e rico e constitui factor de ocupação e rendimento de um segmento importante da população. Merecem referência os bordados em linho, o fabrico de tamancos e de coroças (capas em colmo para protecção da chuva), o fabrico de mantas e tapetes de trapos. Merece especial referência a pirotecnia, uma indústria que se tem desenvolvido e que representa um factor económico de maior vulto nesta área artesanal.

O concelho possui um valioso e diversificado património natural e paisagístico com áreas de parques e reservas com parcelas da primitiva floresta atlântica onde vivem algumas espécies animais em vias de extinção. Paralelamente, existem áreas panorâmicas de rara beleza - Alto do Viso e Castelo de Arnóia - que deixam perceber o extraordinário contraste entre o Vale do Tâmega e o maciço montanhoso Alvão/Marão, desde as alturas do Barroso até ao Douro.

O fomento do turismo em Celorico de Basto tem registado crescimento, fruto do interesse da Câmara Municipal que tem desenvolvido uma série de esforços no sentido da promoção turística do município celoricense. Destacam-se o conjunto de praias fluviais, que permitiu a execução de obras de beneficiação de açudes e margens de alguns rios, bem como a melhoria de acessos e construção e instalação de outras estruturas de apoio.

Para complementar as atracções turísticas de Celorico de Basto, referência para as festas tradicionais do concelho que aliadas às feiras e outras romarias, constituem excelentes pólos de atracção para muitos milhares de visitantes. São excelente ponto de referência as festas em honra de S. Pedro na sede do concelho. A 25 de Julho é dia das festas S. Tiago e do concelho, assinaladas com o feriado municipal. Também as festas em honra de Nossa Senhora da Oliveira, na Gandarela ou a grande romaria a Nossa Senhora do Viso se destacam pela sua popularidade e importância para as localidades onde se realizam.

Para informação complementar consulte: www.mun-celoricodebasto.pt

voltar ao início

 
 
 
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal